Junta de Pombal celebra Centros Históricos este fim de semana

Por: Rita Ribeiro
28-03-2019


A Junta de Freguesia de Pombal volta a associar-se às comemorações do Dia Nacional dos Centros Históricos com um programa de atividades que decorrem este fim-de-semana (30 e 31 de março), em vários pontos da cidade de Pombal. As celebrações arrancam no sábado, logo pela manhã, com a segunda edição do Encontro da Gaiteiros, e terminam no dia seguinte com um Festival de Sopas, que se realiza na Ranha de Baixo, pelo meio estão agendadas várias atividades dinamizadas pela edilidade.

No sábado, 30 de março, as comemorações do Dia Nacional dos Centros Históricos arranca com o segundo Encontro de Gaiteiros, que junta em Pombal 14 grupos e cerca de 50 membros, que vão trazer até às ruas da cidade “animação e alegria”. A iniciativa pretende “reativar e manter vivo o histórico muito grande associado às gaitas de foles”, realçou Carla Longo, secretária da Junta, recordando que “os gaiteiros fazem parte do nosso acervo cultural de há longas décadas”. Após uma manhã de arruadas pela cidade, os grupos atuam no Jardim do Cardal, a partir das 15h30, rumando depois à Praça Faria Gama. A partir das 17h00, as comemorações incluem ainda a confeção de uma mega fogaça, onde estão todos convidados a degustar um dos doces mais tradicionais de Pombal. Segue-se uma tertúlia de “conversas sobre Pombal”, na qual “o Rancho Típico de Pombal e a Confraria do Bodo desafiam as pessoas a partilhar estórias antigas da nossa terra”, adianta Pedro Pimpão, presidente da Junta.

No domingo (31), as atividades dão lugar a uma manhã dedicada à saúde e ao bem-estar, num programa de rastreios de saúde, como forma de divulgar uma atividade que decorre no último domingo de cada mês, entre as 9h00 e as 13h00, no edifício da Junta de Freguesia, resultante de uma parceria entre esta entidade e a Delegação de Pombal da Associação Portuguesa de AVC.

As celebrações encerram com “a grande novidade desta edição”, sublinhou o presidente da Junta, referindo-se à caminhada pelos “Eco-trilhos do Arunca”, que “tem início na zona histórica, acompanha o rio Arunca e termina na sede da Associação da Ranha de Baixo”, onde se realiza um Festival de Sopas.

Publicidade
Últimas