Covid-19: Pombal regista mais 5 vítimas mortais e 78 novos casos

Por: Marta Botas
01-02-2021


De acordo com o último boletim epidemiológico, elaborado pela Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Leiria com base nos dados facultados pelo ACES Pinhal Litoral, o concelho de Pombal registava ontem mais 5 vítimas mortais e 79 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, acompanhadas por 61 recuperações, registando um total de 672 casos ativos distribuídos pelas várias freguesias.

O boletim dá conta de um total de 2431 casos confirmados desde o início da pandemia, 1696 dos quais já foram dados como recuperados e 63 resultaram em óbito.

A situação continua assim a progredir de uma forma extremamente negativa, à semelhança do que sucede a nível nacional, com o número de novos casos e de óbitos a aumentar progressivamente.

Em reunião de Câmara, na passada sexta-feira, o vice-presidente do Município de Pombal, Pedro Murtinho lançou um apelo à população para a importância do cumprimento do confinamento geral e das normas emanadas pela Direção-Geral de Saúde. Em substituição do Presidente da Câmara, que esteve ausente, o vice-presidente referiu que os dados epidemiológicos reportados pela autoridade de saúde pública à autarquia já eram “verdadeiramente assustadores” e deviam ser uma preocupação de todos.

Sendo do conhecimento geral que a autarquia deixou de divulgar diariamente os últimos dados epidemiológicos do concelho, o vice-presidente fez saber que tal se deveu a “atrasos muito significativos na realização dos inquéritos epidemiológicos” que resultam no “desfasamento dos dados” comunicados por parte do ACES Pinhal Litoral quando comparados com a realidade de que a autarquia vai tomando conhecimento, destacando “erros identificados também na base de dados e nos números que nos são reportados pelo ACES e que continuam a não ser corrigidos”.

Salientando que “este é seguramente o período mais difícil que todos nós estamos a viver e também o mais difícil de todo este período de pandemia que já vai praticamente com 11 meses”, o responsável alertou que “todos nos devemos consciencializar para esta catástrofe que estamos a viver” e, lembrando que “a nossa vida não é repetível”, lamentou “que infelizmente ainda há quem pense que isto só acontece aos outros” ou “que isto é uma brincadeira”, o que se reflete em “muitos comportamentos irresponsáveis (…) que estão a levar-nos para uma situação crítica e realmente muito perigosa”.

“Não posso deixar de reforçar que a situação é muito grave e todos temos de contribuir para de imediato mitigar este flagelo que estamos a viver”, concluiu.

Publicidade
Últimas