Alzheimer Portugal cria equipa móvel para apoiar pessoas com demência nas freguesias rurais do concelho de Pombal

Por: Marta Botas
11-01-2021


A Delegação Centro da Alzheimer Portugal anunciou esta terça-feira que vai criar uma equipa móvel de intervenção psicossocial especializada nas demências para prestar apoio a pessoas com este tipo de patologia e seus cuidadores nas freguesias rurais do concelho de Pombal.

“Neste momento, estamos em fase de arranque, a encetar reuniões com as juntas de freguesia, para que possamos pôr a andar o projeto”, disse à agência Lusa a responsável técnica da Delegação Centro da Alzheimer Portugal, Carla Mariza.

Segundo a responsável, a instituição vai precisar que as juntas cedam um espaço onde a assistente social se possa instalar para fazer “atendimento às pessoas com demência e seus cuidadores”.

Carla Mariza esclareceu que será “feito um diagnóstico da situação de cada pessoa, para ter apoio de terapia ocupacional, fisioterapia e psicologia” e que “o grande objetivo deste projeto é aumentar a funcionalidade e qualidade de vida das pessoas com demência e dos seus cuidadores que se encontram isolados e distantes da sede do concelho”.

“Vamos começar as reuniões com as comissões de freguesia para sinalizar todos, porque queremos chegar a todos”, garantiu, adiantando que neste momento ainda não é conhecido “o número ao certo” de pessoas com demência no município de Pombal.

O projeto, financiado em 30 mil euros pelo BPI e pela Fundação “la Caixa”, no âmbito do Prémio Rural, passa ainda pela criação de grupos de ajuda mútua para cuidadores e pela dinamização de acções de sensibilização sobre as demências.

A Delegação Centro da Alzheimer Portugal foi criada em 2003 e está sediada na cidade de Pombal, onde tem doze funcionários e dispõe de um centro de dia que conta com 15 utentes com idades compreendidas entre os 60 e os 90 anos e de um centro de atendimento que presta cerca de 200 atendimentos mensais.

“O centro de dia para pessoas com Alzheimer ou outras demências é um espaço diferenciado, com atividades específicas e direcionadas para as pessoas com estas patologias. Estamos a falar de terapias não farmacológicas que ajudam a retardar a doença”, destacou Carla Mariza em declarações à Lusa.

O centro de atendimento conta com uma equipa técnica multidisciplinar que acompanha os utentes e os seus familiares. É a esta equipa que se vai juntar um terapeuta ocupacional, que em breve se passará a deslocar às freguesias rurais do concelho de Pombal para apoiar os utentes e respetivos cuidadores.

Publicidade
Últimas