Expansão da Zona Industrial da Guia preocupa população da zona Oeste

Por: Marta Botas
08-10-2020


A população do oeste do concelho de Pombal está preocupada com a expansão da Zona Industrial da Guia, que acontecerá com a instalação do Grupo Lusiaves nos terrenos alienados pelo Município de Pombal. O alerta foi dado pelo deputado Manuel António, na última Assembleia Municipal.

O Presidente do Município, Diogo Mateus, lembrou que a instalação decorre nos termos legais e que os terrenos foram adquiridos pela autarquia para fins industriais.

Adiantando que “nós não somos contra a empresa em si e nem contra o investimento”, Manuel António referiu que “aquilo que preocupa as gentes do Oeste e também a bancada do PSD” é a ampliação da zona industrial através da ocupação de 12 hectares de terrenos, já iniciada, e sugeriu “dar a possibilidade à Lusiaves de se relocalizar sem dar continuidade aos trabalhos”.

“Os guienses precisam de saber que a zona industrial não vai crescer para a zona da estação nem para a Lagoa”, frisou o deputado, acrescentando que “a Lusiaves tem um histórico menos simpático aqui na zona Oeste” e que “depois desta indústria se instalar teme-se que o impacto, em termos económicos, seja contraproducente e que o resultado que se espera não se consiga acautelar porque a partir do momento em que este investimento se concretize já não há nada a fazer”.

O Presidente da Câmara Municipal de Pombal, Diogo Mateus, respondeu que o Grupo Lusiaves está a ocupar os terrenos “com os critérios de legalidade que os licenciamentos devem ter e com respeito no espaço que tem aptidão para espaço industrial. O terreno que foi vendido é um terreno que tem aptidão para atividades económicas”.

Recorde-se que os referidos terrenos industriais com cerca de 12 hectares, localizados continuamente à Zona Industrial da Guia, foram alienados pelo Município de Pombal ao Grupo Lusiaves por 640 mil euros e se destinarão à construção de uma unidade industrial que resultará numa ampliação na ordem dos 85% da Zona Industrial.

Por ocasião da alienação dos terrenos, o representante do Grupo referiu que, além da criação de dezenas de postos e trabalho, esta unidade industrial de grande dimensão criará diversas sinergias com outras empresas do concelho.

Fotografia: Jornal Terras de Sicó

Publicidade
Últimas