Opiniões em relação ao Rio Arunca convergem em Assembleia Municipal

Por: Marta Botas
06-10-2020


Após a notícia do investimento na execução de um novo corredor ribeirinho ao longo do rio Arunca e do nascimento do movimento “Amigos do Arunca”, os deputados quiseram saber, em reunião de Assembleia Municipal, se o investimento anunciado pela autarquia abrangerá trabalhos de limpeza e se foram identificadas as fontes de poluição de forma a resolver o problema de raiz.

Confrontado com as questões, o presidente da Câmara Municipal de Pombal, Diogo Mateus, lembrou que “as responsabilidades do município nas linhas de água dizem respeito apenas às zonas urbanas” e esclareceu que as fontes de poluição não foram identificadas. 

Liliana Silva, por sua vez, elogiou “a medida do investimento de 700 mil euros no corredor ribeirinho ao longo do rio Arunca” e recomendou que o município de Pombal “continue a exercer a sua influência junto das entidades competentes para que as ações de fiscalização sejam efectivas” e oriente a recolha dos resíduos.

Recordando que “é frequente termos conhecimento de descargas poluentes ilegais no rio Arunca”, Elisabete Alves frisou que o problema só ficará resolvido através da apuração da “fonte de poluição” e da limpeza do rio.

Em resposta aos deputados, Diogo Mateus lembrou que “as responsabilidades do município nas linhas de água dizem respeito apenas às zonas urbanas” e que “tudo o resto é da responsabilidade dos confinantes, que têm que garantir nos termos da lei portuguesa a manutenção, a limpeza e as entidades competentes têm que assegurar a fiscalização”.

Referindo-se aos “Amigos do Arunca”, a deputada Célia Cavalheiro sugeriu que o município desse “uma mãozinha a este novo movimento”.

Recorde-se que o município de Pombal anunciou recentemente um investimento na ordem dos 700 mil euros na execução de um novo corredor ribeirinho ao longo do rio Arunca, enquanto o movimento “Amigos do Arunca” enviava uma carta aberta aos pombalenses e às autoridades competentes, na qual reclamava a despoluição e a valorização do rio Arunca.

Publicidade
Últimas