Concelhias da JSD em ‘guerra’ com a Distrital

Por: PombalTV
18-10-2018


Cinco concelhias demarcam-se da JSD Distrital de Leiria

As concelhias da JSD de Ansião, Caldas da Rainha, Figueiró dos Vinhos, Peniche e Pombal tornam pública a sua “rutura com a Comissão Política Distrital”, na sequência de “constantes atropelos ao normal funcionamento e relacionamento institucional”.

“Desde o início do mandato, esta Comissão Política Distrital, especialmente o seu presidente, revela uma postura antidemocrática, de desrespeito pelas opiniões contrárias e marginalização daqueles que as emitem”, referem as cinco concelhias em comunicado conjunto.

“Os espaços de discussão política têm sido praticamente inexistentes, não havendo, durante largos meses, lugar a reuniões de Comissão Política e, muito menos, a reuniões do Conselho Distrital, num flagrante desrespeito pelos Estatutos da JSD”, denuncia o mesmo comunicado, adiantando que “o processo decisório é verdadeiramente autocrático, centrando-se no presidente da Comissão Política e na sua Comissão Política Permanente, órgão cuja constituição não está prevista estatutariamente e que foi desenhado à medida para tirar margem para vozes discordantes”.

“A falta de identificação entre os militantes e a distrital torna-se flagrante quando uma atividade como a Academia de Jovens Autarcas passa, de um ano para o outro, de cerca de 100 participantes para cerca de 30”, pode ler-se no comunicado, que aponta ainda “a completa ausência de conteúdo e ação política e, consequentemente, de projeção mediática” como “bastante reveladoras da qualidade do trabalho desenvolvido por esta Comissão Política”.

O foco da atividade da JSD Distrital de Leiria deveria ser a apresentação de propostas políticas, a formação de quadros políticos, o estímulo à participação política dos jovens de todo o distrito (sem excepções e marginalizações) e o apoio à atividade política de todas as concelhias, pelo que “não deve nem pode servir para a prossecução de objetivos e agendas pessoais, nem ser um instrumento para lutas ou manutenção do poder em quaisquer outras estruturas”.

O repúdio total por estes comportamentos levou a que vários militantes destas concelhias, bem como da de Alvaiázere e de Castanheira de Pera, apresentassem a sua demissão dos cargos na estrutura distrital.

As concelhias subscritoras deste comunicado manifestam a sua total disponibilidade para participar na vida da JSD Distrital de Leiria, mas numa perspetiva integradora e construtiva, de apoio às concelhias e não de rutura com as mesmas. Não acreditam, contudo, que tal seja possível no atual contexto e com a atual Comissão Política, que conduziu a distrital ao momento mais negro da sua história.

JSD Distrital de Leiria repudia acusações e nega rutura com concelhias 

Face às acusações feitas pelas concelhias de Ansião, Caldas da Rainha, Figueiró dos Vinhos, Peniche e Pombal, a Comissão Política Distrital da JSD de Leiria nega a rutura com as cinco concelhias e repudia todas as acusações de “constantes atropelos ao normal funcionamento e relacionamento institucional” que lhe foram dirigidas.

“Os espaços de discussão política têm sido os habituais”, salienta a Distrital em comunicado, sublinhando que “esta Comissão Política sempre pugnou pela liberdade de ação e opinião”, o que “causa, não raras vezes, desconforto ao partido pela forma séria, responsável e irreverente como faz política”.

Por isso, considera que “o problema é que, para alguns militantes que, num pequeno cartel interno com apoio de algumas figuras distritais do partido, procuram, através destes números, descredibilizar uma estrutura política que é conhecida em todo o país pela forma abnegada como está e faz política, desprendida de seguidismos e vassalagens”.

“Ao contrário do que os autores deste artigo procuraram veicular, esta Comissão Política Distrital tem sido arrojada na forma como faz política”, consideram os seus dirigentes, argumentando que “a Academia de Jovens Autarcas foi o exemplo disso mesmo”, por se realizar “na região do distrito de Leiria mais ‘esquecida’ pelo poder político, aquela que mais carências tem a nível de apoios”.

“A Comissão Política Distrital tem feito um esforço, como é seu apanágio, para agregar toda a gente, para percorrer o distrito e convidar todos, sem exceção, a fazer política”, adianta o mesmo comunicado, frisando que “a volta às escolas do secundário foi a maior e a melhor de sempre”, tendo passado por “todas as escolas, desde o Bombarral a Castanheira de Pêra”.

“Quanto às propostas políticas, se esta meia dúzia de militantes (…) comparecesse nos fóruns onde são convocados, mas que não comparecem, saberiam que esta Comissão Política Distrital está, desde o primeiro dia em que tomou posse, a trabalhar em duas propostas de agregação e promoção de Leiria à escala nacional e internacional como nunca antes foi feito”.

Assim, “a Comissão Política Distrital não se desmembrou nem se desmembra na sua forma, no seu conteúdo nem no apoio que merece dos militantes e das concelhias do distrito”. Contudo, “não pode tolerar manobras de alguns com o propósito de minar o caminho de todos”, refere, garantindo que vai continuar a “fazer diferente”, pois acredita que “só assim ‘Leiria Vai Crescer’”.

Segundo a mesma nota, a estrutura distrital da JSD revela que “a concelhia de Pombal está demissionária, devendo entrar em processo eleitoral nas próximas semanas”, pelo que a ex-presidente “não pode veicular que a concelhia de Pombal rompeu com a distrital, quando é a maior estrutura política de militantes que apoia esta Comissão Política Distrital”.

Publicidade
Últimas